O Diretor da Obra Nacional da Pastoral do Turismo (ONPT), Padre Carlos Godinho, defende, na mensagem que esta instituição envia a todas as comunidades nesta época de verão, fortemente ligada a actividades turísticas, que deve existir uma intensa relação estre a pastoral desta área e o serviço da Igreja às famílias.

 

«A Pastoral do Turismo está ao serviço da família, pois o tempo de lazer é um tempo de fortalecimento de todos os laços que são partilhados no seio desta célula nuclear da sociedade: conjugais, parentais, familiares», refere a mensagem.

 

Há, na «procura do descanso, do enriquecimento cultural e do lazer», não somente uma possibilidade e uma busca do bem-estar de cada um, mas um «estreitar dos laços de comunhão e de amor entre todos os membros da família, proporcionados pela alteração do quotidiano», defende a ONPT, que considera serem as férias momentos que «geram encontros familiares mais profundos, motivados pela presença, pela disponibilidade para o diálogo e o encontro, pela partilha de atividades comuns e pela criatividade».

 

Este organismo da Igreja Católica portuguesa entende, ainda, que «os trabalhadores deste sector deverão ver, nas épocas de maior intensidade de trabalho, os seus direitos respeitados, de modo a que não seja prejudicada a sua vida familiar, pela ausência de tempos de descanso».

 

Tendo em consideração estas ideias, a ONPT aponta algumas propostas de acção pastoral que deverão ser tidas em consideração pelas comunidades e famílias, das quais se destacam:

 

  • A «programação das férias em família, de modo a conciliar interesses, horários e actividades, bem como os momentos de celebração conjunta da fé, nomeadamente ao domingo e outros, que possam resultar na meditação da Palavra em conjunto»;
  • O providenciar do “acolhimento” dos que estão de férias nas comunidades que têm uma actividade turística significativa, procurando integrar quem está de visita nas celebrações, bem como providenciar uma correcta informação sobre as actividades existentes e seus horários e a garantia de cumprimento de um horário de atendimento por parte dos párocos/sacerdotes;
  • O pedido de que haja, por parte das famílias, um verdadeiro testemunho da vivência cristã em tempo de férias, já que o testemunho e o exemplo são a melhor forma de viver e de dar a conhecer os valores e a identidade cristãos.
Share
Share