Abril 2019

A presente Newsletter, do mês de Abril, reporta-nos para a ação de algumas dioceses portuguesas: reorganização de serviços, em que se inclui a Pastoral do Turismo; novos espaços de visita; efemérides e algum património regional imaterial, que merece sempre a nossa atenção cuidada.

De salientar ainda a cooperação luso-brasileira que se vai aprofundando, ao nível da Pastoral do Turismo, com a expectativa de alguns frutos a médio prazo. Portugal e Brasil, para além dos projetos aqui apresentados, têm dialogado, através dos seus serviços de Pastoral do Turismo, no sentido de aprofundarmos esta cooperação e partilha que muito beneficiará as igrejas de ambos os países. Especial atenção nos têm merecido, para já, os principais Santuários Marianos de Portugal e do Brasil.

O enfoque desta Newsletter centra-nos também no norte, com destaque para a visita ao Bom Jesus do Monte – património singular, em recuperação, na expectativa do seu reconhecimento internacional, como património da UNESCO.

Propostas de leitura e de informação que agora levamos até si. Sempre na expectativa de que este possa ser um espaço  maior de partilha e enriquecimento de cada Igreja Local, em comunhão com as demais comunidades Diocesanas, a quem esta Newsletter pertence.

Agradeço ao Dr. Varico Pereira a composição desta Newsletter, que agora se publica.

Pe. Carlos Godinho
Diretor da ONPT  

Algarve

PAÇO EPISCOPAL DO ALGARVE ESTÁ ABERTO PARA VISITAS

O Paço Episcopal da Diocese do Algarve está aberto a visitas do público desde o dia 11 de abril. A cerimónia de abertura do espaço - um dos edifícios mais representativos da Arquitetura Chã no Algarve – contou com a presença do Bispo do Algarve, D. Manuel Neto Quintas e de diversas entidades regionais.

Esta abertura aos visitantes é uma vontade do bispo do Algarve, que considera o espaço um «testemunho vivo da atenção dos bispos desta diocese à promoção da cultura e à valorização do espaço urbano da cidade, contribuindo para fazer do largo da Sé o espaço nobre, o seu ex-libris».

Após vários meses durante os quais decorreram obras de restauro ao nível da caixilharia e do gradeamento das janelas das fachadas principal no largo da Sé e lateral na rua do Município e de recuperação dos pavimentos, o espaço poderá agora ser visitado pelo público que assim o desejar, tendo todo o processo de preparação do edifício sido feito com a colaboração de uma equipa técnica do Museu Municipal de Faro. Para além das salas principais e da imponente azulejaria, os turistas poderão ver peças de estatuária e pintura.

As visitas terão entrada paga.

Braga

NOVO DEPARTAMENTO DA PASTORAL DO TURISMO

De harmonia com as orientações para a renovação da Cúria Arquidiocesana publicadas no dia 22 de Fevereiro de 2019, e procurando incrementar maior consciência missionária e evangelizadora, D. Jorge Ortiga, Arcebispo Primaz de Braga, procedeu às nomeações, por um período de cinco anos. Algumas são confirmação e outras pela primeira vez, como aconteceu com o Departamento Arquidiocesano para o tempo livre, desporto e Mobilidade, onde está incluída o secretário diocesano da Pastoral do Turismo. A equipa é composta por dois padres e dois leigos está agora a organizar o seu serviço diocesano e a elaborar um documento base que sirva de orientação para a pastoral do turismo na diocese.

SEMANA SANTA DE BRAGA

A Semana Santa Braga, decorreu de 12 a 21 de Abril, com eventos associados que vão desde as muito apreciadas procissões a concertos, exposições, visitas guiadas, animações de rua e outras celebrações religiosas. A Semana Santa de Braga continua a afirmar-se como uma das solenidades com mais tradição no nosso pais. Por outro lado, as celebrações, atraem milhares de visitantes, que fazem desta Semana Santa um evento de atração turística por excelência.

Os hotéis e restaurantes registaram taxas de ocupação muito elevadas, no que respeita à hotelaria e alojamento local, a taxa de ocupação andou muito perto dos 100 por cento. Sendo que, os dias de Quinta e Sexta-Feira Santas continuam a ser os dias que mais turistas nacionais e estrangeiros atraem à cidade.

Évora

22 DE MAIO DE 2019: CATEDRAL DE ÉVORA CELEBRA 711 ANOS DE DEDICAÇÃO

A sagração ou dedicação da Catedral de Évora a Nossa Senhora da Assunção aconteceu a 22 de Maio de 1308, quando ocupava a cadeira episcopal D. Fernando Martins. Portanto, no próximo dia 22 de Maio de 2019 celebram-se os 711 anos da dedicação da Basílica Metropolitana da Arquidiocese de Évora, cuja silhueta recortada na paisagem urbana se vislumbra a vários quilómetros de distância. É a maior catedral medieval de Portugal e não tem paralelo no resto do país, ocupando o coração do Centro Histórico da Cidade de Évora, classificado Património Mundial da UNESCO desde 1986.

No seu interior, a imponência da Sé de Évora pode ver-se nas três grandes naves. Na mais alta das três, a nave central, encontra-se o altar de Nossa Senhora do Anjo (ou Nossa Senhora do Ó), todo ele em talha barroca, com imagens góticas de Nª Sª do Ó em mármore e do Arcanjo S. Gabriel. É uma das imagens mais venerada localmente entre as parturientes. Há uma longa tradição na cidade de mandar tocar o sino da Sé, sempre que uma mulher dá à luz uma criança. A devoção à Senhora do Ó vem já provavelmente desde o início da Catedral.

No exterior da Catedral de Évora, no entanto, o zimbório ou torre lanterna é o elemento arquitetónico que mais se destaca, sendo como que o ex-líbris deste monumento, característico pela sua cobertura em forma de escamas de pedra.

A Catedral de Évora inclui ainda um Museu de Arte Sacra, inaugurado em Maio de 2009, que conta com um espólio valiosíssimo nas áreas da paramentaria, pintura, escultura e ourivesaria. De entre as várias peças aqui guardadas destacam-se a Virgem do Paraíso, século XIII, também conhecida como a Virgem Abrideira, pela sua dupla forma, aberta ou fechada, a Cruz-Relicário do Santo Lenho (século XIV) e o Báculo do Cardeal D. Henrique. Este Museu encontra-se instalado no antigo Colégio dos Moços do Coro da Sé, edifício adjacente à Catedral.

 

24 A 28 DE ABRIL: XIX ROMARIA A CAVALO LIGA MOITA A VIANA DO ALENTEJO

Centenas de romeiros voltam a cumprir a tradição, numa viagem de 150 quilómetros por caminhos de terra batida e que tem início junto à Igreja de N.ª Sr.ª da Boa Viagem, na Moita, e termina no Santuário de N.ª Sr.ª D’Aires, em Viana do Alentejo, passando por várias localidades, entre as quais Alcáçovas que servirá de pernoita no dia 26, onde haverá um programa musical/cultural nessa noite.

Para receber os muitos visitantes esperados em Viana do Alentejo durante o fim de semana, o Município preparou um programa cultural.

De salientar que a Romaria a Cavalo é promovida por uma comissão organizadora constituída pelos Municípios da Moita e Viana do Alentejo, Associação dos Romeiros da Tradição Moitense e Associação Equestre de Viana do Alentejo com o apoio da Caixa de Crédito Agrícola do Guadiana Interior, da Hidrauviana, da Vangflor e do Diário do Sul. A Romaria a Cavalo é uma iniciativa financiada pela Turismo do Alentejo, ERT, no âmbito do Programa 365 Alentejo – Ribatejo 2019.

Coimbra

A Comissão Diocesana de Pastoral do Turismo de Coimbra, após a sua constituição e definição de objetivos, esteve a elaborar o seu primeiro esboço de programa de ação. Antes, porém, a Doutora Margarida Franca, membro desta Comissão, produziu um documento base: Caracterização da Diocese de Coimbra – Demografia, Identidades religiosas e Indicadores do setor turístico, que nos permitirá elaborar um programa de ação com maior objetividade e atento às diversas realidades diocesanas. Atendendo a que este documento favorecerá o trabalho pastoral de outros secretariados e serviços diocesanos, a Comissão de Pastoral do Turismo está a programar uma conferência, com a autora do documento, dirigida a todos estes serviços diocesanos. Está igualmente em curso a organização de um fórum, com diversos parceiros da área do turismo, para ajudar esta Comissão Diocesana na reflexão e definição de um programa de ação que melhor sirva a pastoral do turismo na Diocese.

Outras notícias

 

Cooperação luso-brasileira

Publicação das Orientações para a Pastoral do Turismo, no Brasil

O diretor da Obra Nacional da Pastoral do Turismo (ONPT) concedeu a devida autorização à Pastoral do Turismo da Diocese de Aparecida, para publicar o texto das Orientações para a Pastoral do Turismo, do Conselho Pontifício para a Pastoral dos Migrantes e Itinerantes, na sua tradução para português. Recordamos que, muito embora este seja um documento pontifício, do Conselho Pontifício para a Pastoral dos Migrantes e Itinerantes, atualmente integrado no Dicastério para o Desenvolvimento Humano Integral, não estava disponível na nossa língua, tendo sido traduzido e publicado pela ONPT, em 2015. Mantendo a mesma tradução, a Pastoral do Turismo de Aparecida solicitou ainda ao diretor da ONPT um breve texto introdutório para a publicação brasileira, entretanto enviado.

 

Criação de circuito de turismo religioso Luso-Brasileiro

O diretor da Obra Nacional da Pastoral do Turismo (ONPT) reuniu, no passado dia 9 de abril, p.p., em Lisboa, com o Secretário de Estado Adjunto do Turismo, do Estado do Pará – Brasil, Dr. André Orengel Dias, e com o Sr. Paulo Renato Fernandez, Presidente da BRASCOOP – Brazilian Cooperative of Road Air Cargo, em ordem à criação de um circuito de turismo religioso luso-brasileiro. Este circuito terá como principais referências os Santuários de Fátima (Portugal), Aparecida e Nazaré (Brasil). Assente numa perspetiva de turismo cooperativo, em que se sublinhou igualmente a dimensão do turismo solidário, o projeto inicial, a apresentar aos demais parceiros a convidar e à Secretaria de Estado do Turismo de Portugal, ficou de ser elaborado pelo Secretário de Estado do Turismo do Pará, Dr. André Dias. O diretor da ONPT, entre outros aspetos, apontou duas coordenadas fundamentais para o projeto: a definição clara de objetivos para este circuito, capazes de o justificar, incluindo a suas referências históricas e a natureza de culto mariano; e a afirmação dos três Santuários – Fátima, Aparecida e Nazaré (Brasil) – como Santuários/Âncora, capazes de potenciar outros destinos de turismo religioso em Portugal e no Brasil. A primeira apresentação e discussão do projeto ficou agendada para o próximo mês de maio.

Bom Jesus do Monte em Braga

Situado em Braga na freguesia de Tenões (Santa Eulália), no Norte de Portugal, o santuário do Bom Jesus do Monte localiza-se numa encosta do chamado monte Espinho. Orientado a poente o santuário tem extensa vista que abarca toda a cidade de Braga e uma parte do vale do Cávado vendo-se, inclusivamente o mar. Está inserido numa área de 26,5 ha que constitui um parque densamente arborizado, equipado com uma rede de caminhos, lagos, edifícios de natureza variada incluindo quatro hotéis e um casino hoje adaptado a centro de congressos. O santuário é indissociável da cidade de Braga, uma das cidades mais antigas de Portugal, fundada como Bracara Augusta, no tempo dos romanos. O Santuário do Bom Jesus do Monte é um conjunto arquitetónico e paisagístico sucessivamente reconstruído e aumentado, no qual se evidenciam os estilos barroco, rococó e neoclássico. Compondo-se em monte santo, é definido por um longo percurso de via-sacra, que se estende, atravessando a mata, pela encosta poente do antigo monte Espinho conduzindo o peregrino entre capelas que abrigam conjuntos escultóricos evocativos dos passos da paixão, morte e ressurreição de Cristo, fontes e estátuas alegóricas. O percurso organiza-se em duas secções distintas, uma primeira respeitando aos momentos anteriores à morte de Jesus, terminando em igreja de cruz latina, e outra alusiva à vida gloriosa de Cristo ressuscitado, que culmina no Terreiro dos Evangelistas. 

O Santuário do Bom Jesus do Monte, tal como o conhecemos hoje, tem a sua génese pelo menos ao século XIV. Foi ganhando em importância e significado religioso e cultural particularmente a partir do início do século XVII quando foi instituída a Confraria do Bom Jesus do Monte. Data de enão a construção de uma primeira via-sacra. No início do século XVII, com D. Rodrigo de Moura Telles, o restaurador do Bom Jesus, a via-sacra ganha nova configuração e é ampliada com a construção do escadório dos Cinco Sentidos e um templo na parte superior. Com Manoel Rebello da Costa, em meados do século XVIII, a via-sacra é novamente ampliada a partir do templo até ao Terreiro dos Evangelistas. Com D. Gaspar de Bragança, já nos finais deste século, é demolido o templo, construído o escadório das Virtudes e iniciada a construção do novo templo, da autoria de Carlos Amarante. O Santuário do Bom Jesus do Monte é parte integrante de um projeto europeu de criação de montes sacros que atinge uma complexidade formal e simbólica única e um carácter monumental sem precedentes. Lugar-recriação de Jerusalém, configura um monte santo, indissociável da cidade e da arquidiocese de Braga. É um longo percurso de via-sacra construído em granito, constituindo por uma sucessão de lances de escadas e muros pontuados e ritmados por capelas, fontes e estátuas alegóricas, testemunho dos estilos barroco, rococó e neoclássico. A qualidade artística é excecional quer sob o ponto de vista da conceção e da composição geral quer da dimensão escultórica e plástica. O escadório vence um desnível de 140 metros de altitude convocando arte e engenho humanos. O monte e o escadório confundem-se.

Os atributos que conferem ao Bom Jesus do Monte um Valor Universal Excecional são de duas naturezas: material – traduzida no primeiro critério: obra do génio criador humano e intangível – traduzida no segundo critério associado a acontecimentos e tradições vivas religiosas e artísticas. Estes atributos permitiram que hoje seja candidato a património mundial da UNESCO.

No Bom Jesus existem ainda hotéis, restaurantes, lago com barcos e o elevador, motivos mais do que suficientes, que justificam uma visita.